Ceará

Em 90 minutos, Leão tenta superar 8 anos de martírio

Fortaleza tem diante do Tupi mais uma decisão que definirá se seu futuro será do tão esperado alívio ou de frustração por mais um ano na Série C. Acesso nunca esteve tão nas mãos do Tricolor como agora

Nos últimos oito anos, o torcedor do Fortaleza teve de se habituar a conviver com o tempo como um inimigo. O passar das folhas do calendário foram acompanhados da angústia da aproximação dos meses de setembro e outubro. Quando chegava o período do tal mata-mata da Série C do Campeonato Brasileiro, o sentimento se transformava em tristeza, frustração e, por vezes, raiva.

Hoje, às 20h30min, o time do Pici parte para mais um acerto de contas com o tempo. Desta vez, longe de casa, no interior mineiro. Em Juiz de Fora, contra o Tupi, o Fortaleza volta a decidir seu futuro. E como será o sentimento de seu torcedor a partir de amanhã. Na última semana, a sensação foi de leveza, embora ainda insustentável. A vitória por 2 a 0 no Castelão, há uma semana, até deu certa tranquilidade. Isso porque, nos 90 minutos que terá pela frente hoje, o Tricolor pode até perder por 1 a 0 para, enfim voltar à Série B nacional, que não frequenta desde 2009 e nunca esteve tão próxima.  

Mas, seja por cautela, superstição ou alma calejada de tanto bater sem entrar pela porta do acesso — esta é a quinta oportunidade no mata-mata —, o torcedor do Fortaleza reluta em adotar o discurso “deste ano não passa”.  

Em termos práticos, voltar à Série B representa para o time do Pici um incremento de pelo menos R$ 5 milhões em cotas de TV, maior visibilidade, e, por consequência, mais patrocínio e um elenco teoricamente melhor. Além de um maior número de jogos em casa e mais dinheiro com bilheteria e planos de sócio-torcedor. 

Uma bufunfa daquelas, mas que não paga o valor que é um torcedor ter de volta o orgulho próprio e a saída dos ombros de um peso de oito temporadas na Série C nacional. 

De tão importante, o jogo de hoje mobiliza não só torcedores do Fortaleza. Os do Ceará também devem acompanhar atentos após a partida do próprio Vovô, um pouco mais cedo, contra o Brasil de Pelotas. Se dividindo entre os que secam o rival em prol de mais um ano de chacotas e os que fingem indiferença. Sem esquecer, claro, dos abnegados “defensores do futebol cearense”, capazes de torcer  pelo sucesso do rival. 

De certa forma, a epopeia do Fortaleza na Série C do Campeonato Brasileiro fez parte do imaginário alencarino na atual década.  

Até quem não é muito afeito a futebol parece aguardar o desfecho da saga tricolor, se ele de fato ocorrer hoje. Como quem espera o último capítulo da novela que sequer acompanhou com afinco, mas sabe quem são os personagens e a importância que um bom drama tem.

SÉRIE C 2017 

TUPI 
TÉCNICO: AÍLTON FERRAZ 
3-5-2: Paulo Henrique, Patrick, Fernando, Edmário (Hélder); Afonso, Marcel, Leandro Brasília, Andrey, Bruno Santos; Ítalo e Romarinho

FORTALEZA 
TÉCNICO: ANT. CARLOS ZAGO
4-1-4-1: Marcelo Boeck, Felipe, Ligger, Adalberto e Bruno Melo; Anderson Uchoa, Pablo, Éverton e Leandro Lima; Hiago e Lúcio Flávio 
Local: Estádio Mário Helênio, Juiz de Fora-MG 
Data: 23/9/2017 Horário: 20h30min 
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ) 
Assistentes: Michael Correia (RJ) e Silbert Faria Sisquim (RJ) 
Transmissão: Rádio O POVO/CBN (FM 95,5 e AM 1.010).

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.