Brasil

Flamengo aproveita ressaca do Corinthians e reage com 3 a 0

O Flamengo tirou proveito da ressaca do Corinthians, em festa pela conquista do heptacampeonato brasileiro desde quarta-feira. Neste domingo, a contestada equipe carioca fez 3 a 0 sobre a paulista na Ilha do Governador e aumentou as suas chances de disputar a Copa Libertadores da América em 2018.

Os gols do Flamengo foram marcados no primeiro tempo, quando o Corinthians estava mais sonolento, por Mancuello, Diego (de pênalti) e Felipe Vizeu. O último deles comemorou de forma grosseira, mostrando o dedo médio ao companheiro Rhodolfo, com quem havia discutido um minuto antes.

O resultado positivo levou o Flamengo aos 53 pontos, ultrapassando o rival Botafogo (52 após empatar por 0 a 0 com o São Paulo), na sexta posição. O campeão Corinthians seguiu com os seus inalcançáveis 71 e perdeu a chance de igualar o feito do Cruzeiro de 2013, o único clube a ter vencido ao menos uma vez todos os seus adversários em uma edição do Campeonato Brasileiro de pontos corridos.

Com bons motivos para celebrar, mesmo com a derrota deste fim de semana, o Corinthians ganhará a sua taça diante do Atlético-MG, no próximo domingo, em Itaquera. No mesmo dia, o Flamengo receberá outro time paulista, o Santos, novamente na Ilha do Governador. 

Corinthians e Flamengo estarão no Nordeste do País na última rodada do Brasileiro. O campeão enfrentará o Sport na Ilha do Retiro, e o postulante a também disputar a Libertadores irá ao Barradão para jogar contra o Vitória.

O jogo – Enquanto a pequena torcida do Corinthians presente no Luso-Brasileiro gritava “é campeão”, a do Flamengo recepcionava os donos da casa com rispidez. “Time sem vergonha!”, berrou a maioria do público, revoltada com a inconstância dos comandados de Reinaldo Rueda, quando viu os atletas.

O colombiano – que quase assumiu o Corinthians no início do ano – confiava na movimentação ofensiva do desfalcado Flamengo para reverter o mau momento. Após abraçar o colega Fábio Carille, ele viu a sua equipe tomar a iniciativa de atacar o heptacampeão brasileiro.

Acuado, o Corinthians permitiu que o Flamengo ganhasse terreno e, diferentemente do que fez em boa parte de sua campanha vitoriosa, não estava bem armado para contra-atacar. Romero até chegou a ser deslocado da direita para a esquerda, invertendo de posição com Marquinhos Gabriel, mas nenhum dos dois conseguia ser participativo. Assim como Camacho, improvisado na função do poupado Rodriguinho.

Na defesa, o Corinthians também era sonolento. Aos 20 minutos, Mancuello aproveitou para carregar a bola da direita para o centro da entrada da área e bater colocado, buscando o ângulo. Cássio se esticou, mas não alcançou: 1 a 0.

Ficar atrás no placar não foi o bastante para acordar o Corinthians, que não contava nem sequer com a vontade de quem ganhou oportunidade como titular para equilibrar a partida. Léo Príncipe, Marciel e Fellipe Bastos apareciam tanto quanto no restante do Campeonato Brasileiro.

Aos 31 minutos, foi a vez de Geuvânio avançar para cima da marcação corintiana, invadindo a área pela direita. O atacante encontrou Pablo e caiu. Pênalti, na visão do árbitro Wagner Reway. Diego se apresentou para a cobrança e chutou quase no meio do gol para ampliar.

O Corinthians não chegou a empolgar em sua tentativa de reação, mas produziu o suficiente para incomodar parte dos flamenguistas. Jô fez Diego Alves trabalhar em uma cabeçada. Na cobrança de escanteio, Rhodolfo se enervou com o posicionamento defensivo de Felipe Vizeu. Ameaçou até desferir uma cabeçada no companheiro.

No lance seguinte, Vizeu respondeu. O centroavante recuperou a bola no campo de ataque, entrou na área e concluiu cruzado, com categoria, no canto. Na comemoração, ergueu o dedo médio na direção de Rhodolfo. Inconformado, o zagueiro prometeu tirar satisfação no vestiário. O árbitro considerou tudo normal.

Vizeu e Rhodolfo voltaram ao gramado com feições tranquilas para o início do segundo tempo. Afirmaram ter conversado e resolvido a situação a portas fechadas. Do lado do Corinthians, Carille, mais preocupado, trocou Fellipe Bastos por Giovanni Augusto na esperança de mexer com os brios do seu time.

O Corinthians até melhorou a partir da alteração, mas também porque o Flamengo diminuiu o ritmo com a vantagem de três gols no marcador. Atento, Rueda substituiu Geuvânio por Éverton Ribeiro e o lesionado Vizeu pelo novato Lincoln.

O jogo voltou a ser movimentado a partir de então. Nesse panorama, Carille apostou na velocidade de Pedrinho no lugar de Marquinhos Gabriel. Não adiantou. Embora tenha recobrado a segurança defensiva, o Corinthians não esteve muito perto de descontar e ainda ouviu a torcida local gritar “olé” nos minutos finais. O público visitante respondeu com orgulho: “É campeão!”.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.