Brasil

Reforma Trabalhista entra em vigor no sábado, e sindicatos cobram volta de imposto

Presidente da Força Sindical negocia votação em regime de urgência de projeto para instituir novo tributo.

A menos de cinco dias para entrar em vigor a Reforma Trabalhista, representantes de entidades sindicais pressionam o governo para editar a medida provisória que recria o extinto imposto sindical. Temer havia prometido que enviaria uma MP para manter, por cinco anos, a principal fonte de renda dos sindicatos, em troca e apoio na 2ª denúncia, informa a edição desta segunda-feira (6) do jornal O Estado de S. Paulo.

Mas, diante da demora, o presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva, negocia com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, a votação em regime de urgência de projeto para instituir o novo tributo. O novo imposto será incluído num projeto sem relação com o tema, mas que estiver pronto para ser votado no plenário da Câmara. Com isso, a pauta não será debatida pelas comissões temáticas.

Uma emenda ao projeto irá definir que os sindicatos terão que aprovar em assembleias se poderão ou não cobrar o imposto sindical. Quem receber o aval terá o direito de arrecadar da categoria beneficiada pelos acordos coletivos, filiados ou não.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.