Ceará

Capacitação com técnicas de produção agrícola incentiva cultivo de algodão

Técnicos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce), iniciaram, no campus da Faculdade de Tecnologia / Centro de Ensino Tecnológico (Fatec/Centec), em Quixeramobim, um curso de técnicas de produção de algodão. A programação é extensa. Segue até o próximo dia 15. 

Ainda de acordo com a Embrapa, os dias de campo fazem parte de um conjunto de ações para revitalização da cotonicultura no Ceará. Uma das principais iniciativas foi a instalação de sete unidades demonstrativas de tecnologias nos municípios de Iguatu, Acopiara, Senador Pompeu, Quixeramobim, Quixadá e Choró. Juntos, pretendem fortalecer o segundo maior parque têxtil do País, atualmente abastecido de matéria-prima proveniente de outros estados, principalmente Bahia e Mato Grosso, a elevados custos de logística.

A iniciativa foi bem recebida pelos produtores do Sertão Central. Representantes da "Terra do Ouro Branco", como Quixadá ficou conhecida por sua melhor fase econômica, no século passado, se destacando como um dos maiores produtores do Nordeste, estão otimistas em relação ao retorno da cultura do algodão no Ceará. O assunto foi discutido no fim de novembro, no último encontro do Agropacto. Na oportunidade, produtores e secretários do Estado, da área agrícola, apresentaram ao governador Camilo Santana o "Programa de Modernização da Cultura do Algodão no Ceará". 

Conforme os participantes do encontro, realizado no auditório da Federação da Indústria do Estado do Ceará (Fiec), em Fortaleza, o governador aprovou o documento e solicitou um detalhamento sobre os valores do programa de revitalização da cotonicultura e a contrapartida financeira do Estado. Antes de assumir o governo do Ceará, Camilo Santana foi secretário estadual de Agricultura.

O documento foi elaborado por órgãos do governo do Estado ligados ao setor primário, dentre eles a Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), Ematerce, Instituto Agropolos, Secretaria da Agricultura Pesca e Aquicultura (Seapa), com o apoio da Embrapa, por meio do Centro Nacional de Pesquisa do Algodão, em Campina Grande (Paraíba), e do Centro Nacional de Pesquisa de Frutas Tropicais, em Fortaleza, da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (Faec) e produtores de algodão que compõem o Comitê do Algodão.

Na avaliação do presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), a situação, hoje, é de plena recuperação da cultura, saindo o Brasil da condição de importador de algodão a exportador para vários países. A cotonicultura nacional é também detentora da maior produtividade mundial, com 1.790Kg/ha.

O Programa de Modernização da Cultura do Algodão no Ceará prevê a instalação de unidades demonstrativas e também assistência técnica contínua da Ematerce em vários municípios com potencial para o plantio da cultura. A Embrapa participa com pesquisas sobre novas cultivares resistentes às pragas e doenças, principalmente no combate ao bicudo-do-algodoeiro, inseto responsável pelo prejuízo nas plantações de algodão.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.