Brasil

Lula dá nova sarrada e garante lutar contra desmonte de Temer

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva visita nesta sexta-feira, 8, o campus de Nova Iguaçu da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Lula voltou a denunciar o desmonte da educação pública promovido pelo governo de Michel Temer e posou com estudantes fazendo novamente o gesto conhecido como "sarrada no ar", que viralizou nas redes sociais na caravana pelo Nordeste.
Em discurso para estudantes e professores, Lula defendeu a importância das universidades brasileiras. "Ainda hoje temos proporcionalmente menos jovens na universidade do que o Chile. Isso demonstra o descaso que a elite brasileira sempre teve com seu povo", criticou. 
Segundo Lula, o que está acontecendo com o Brasil é como se fosse uma cirurgia. "Você está anestesiado e não sente nada na hora, só vai sentir depois. Eles conseguiram acabar como todas as conquistas dos trabalhadores desde 1943", afirmou. 
"Para poder fazer a cirurgia e aplicar a anestesia, eles inventaram uma doença. Foi a mesma que inventaram contra Getúlio, Juscelino, Jango. E só sete anos depois que eu saí do governo, porque antes não tinham coragem. Todo mundo queria ser meu amigo", acrescentou. 
Acompanhe o discurso de Lula na UFRRJ:


Mais cedo, em entrevista à Rádio Tupi, Lula disse que nenhum presidente eleito teria "coragem" de executar a agenda pautada pelo governo Temer. "Nenhum presidente da República que fosse eleito teria a desfaçatez de fazer o que o Temer está fazendo. Eles queriam que a Dilma fizesse e ela se recusou. Por isso tiraram ela", avaliou.
Lula citou a reforma trabalhista como exemplo e criticou a medida que permite o trabalho intermitente. "O que fizeram com a reforma foi um crime. Criaram um tal de trabalho intermitente em que o trabalhador nunca vai saber quanto vai ganhar no fim do mês. Rasgaram tudo que foi feito em 1943", analisou. Para o ex-presidente, trabalhadores não sentirão os efeitos da reforma "nem hoje, nem amanhã", mas "ao longo do tempo".
Sobre a Previdência, Lula criticou o modelo proposto pelo atual governo, que em breve deve ser analisado pelo Congresso. "Você não pode jogar a culpa da crise econômica no aposentado. A previdência foi superavitária de 2004 a 2014 porque geramos emprego, aumentamos o mínimo, formalizamos as domésticas. Tem que gerar empregos pra gerar contribuição", ressaltou.
Lula pelo Rio de Janeiro
O ex-presidente encerra nesta sexta-feira a caravana Lula pelo Rio de Janeiro, com um ato na UERJ, às 19h. Durante a viagem, Lula defendeu ajuda federal ao Rio para recuperação da situação financeira do estado. Sobre a segurança pública, o ex-presidente ressaltou que o meio mais efetivo de se combater o aumento da criminalidade é promovendo a geração de empregos.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.