Brasil

Quadrilha clonava chassis de caminhões do Exército para cometer roubos

A polícia cumpriu ordens de prisão em três estados e no Distrito Federal. Veículos roubados circulavam livremente pelas rodovias do país, após serem registrados com chassis clonados. Um suspeito segue foragido

A operação Alto Luxo, desarticulada nesta quinta-feira (14/12), apontou um esquema bem planejado da quadrilha, segundo a Polícia Civil. Há indícios até mesmo do uso de chassis clonados de caminhões do Exército Brasileiro para que os criminosos pudessem circular livremente com veículos roubados pelas rodovias do país. Além do crime cometido com as cargas e caminhões, os envolvidos também faziam a venda e frete dos produtos roubados. 

Doze dos 13 mandados de prisão e 15 de busca e apreensão foi cumpridos em São Sebastião, Sobradinho, no Distrito Federal; em Planaltina, Formosa, Novo Gama, Alvorada do Norte, em Goiás; além de ordens em Ibotirama (BA) e Indaiatuba (SP). A polícia também apreendeu 4 armas de fogo, além de recuperar seis caminhões e um automóvel roubados. Um suspeito está foragido. 

A investigação da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV) durou aproximadamente seis meses. Segundo o delegado-adjunto Rafael Seixas, em uma das ações os criminosos roubaram um motorista que fazia parte da própria quadrilha “A movimentação de dinheiro exata, não temos. Mas, era coisa milionária”, afirmou. O investigador garante que a busca sobre caso não chegou ao fim.  

De acordo com a Polícia Civil, Francisco Silva Germano, 35 anos, é apontado como o líder do grupo. Ele planejava as ações e realizava os contatos com os executores dos roubos, compradores dos produtos e fraudadores. O homem possui antecedentes criminais pelo uso de documentos falsos. 

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.