Carnaval

Carnaval deve girar R$ 292,7 milhões na economia do Ceará

Varejo está otimista com o feriadão, que deve elevar vendas em segmentos como o de supermercados

Os serviços relacionados às atividades turísticas vão girar R$ 292,7 milhões no Ceará, segundo pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). É o quinto maior montante entre os estados avaliados pelo levantamento, ficando atrás do Rio de Janeiro (R$ 1,9 bilhão), São Paulo (R$ 1,7 bilhão), Minas Gerais (R$ 567 milhões) e Bahia (R$ 516 milhões), mas o primeiro em termos relativos, com a maior taxa de crescimento de receita (9,1%). 

De acordo com o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Fortaleza, Assis Cavalcante, esses valores devem se concentrar nos segmentos de supermercados, lojas de fantasias e bares e restaurantes. "No varejo como um todo, como de eletros, telefonia, não tem muita procura nesse período. Como (o feriado) vai ser no meio do mês, atrapalha um pouco as vendas do período, mas devemos ficar no mesmo patamar do ano passado, ou com um crescimento de até 1%", estima. 

Consumo
De fato, o consumo de bebidas, como cerveja (57%), refrigerantes (52%) e água (52%), além de lanches (51%) e protetor solar (43%) serão os produtos mais consumidos no Carnaval deste ano, segundo pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). O levantamento mostra que o gasto médio do consumidor brasileiro com os dias de folia deve ser de aproximadamente R$ 847,35, valor que sobe para R$ 969,10 entre os homens e para R$ 1.185,42 entre as pessoas das classes A e B.

A pesquisa destaca que três em cada dez (31%) entrevistados devem adquirir alguma fantasia ou adereços para comemorar o feriado e 24% vão comprar preservativos. Considerando os serviços, os mais procurados devem ser os de bares e restaurantes (50%), táxis ou serviços de transporte por aplicativos (31%), passagens aéreas (24%) e hospedagens em hotéis e pousadas (23%).

Mas são os supermercados que devem concentrar a maior parte das compras ligadas ao Carnaval, mostra a pesquisa: 66% devem frequentar algum desses estabelecimentos. Em segundo lugar aparecem os shopping centers (30%), seguido pelas lojas de rua (30%) e pelas de departamento (27%).

O levantamento mostra ainda que, apesar de a inflação ter se mantido abaixo da meta estipulada pelo governo em 2017, a maioria dos entrevistados (51%) acredita que os preços dos produtos e serviços ligados ao Carnaval estão mais caros neste ano do que no mesmo período do ano passado. Outros 30% consideram que estão na mesma faixa de preço, ao passo que 15% pensam estar mais baratos.

Com isso, a maior parte dos consumidores deve reduzir os gastos com o Carnaval ou mantê-los parecidos com os do ano passado. Segundo a pesquisa, quatro em cada dez (40%) entrevistados planejam gastar menos, enquanto 32% vão desembolsar a mesma quantia que em 2017. Os que pretendem aumentar os gastos somam 21% da amostra. 

Potencial 
O presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, avalia que, além de fazer parte da cultura nacional, o Carnaval representa um grande potencial de consumo para os empresários brasileiros. "Mais do que uma grande festa, o Carnaval é um grande negócio, que impulsiona muitos setores da economia", reforça.

"Se, por um lado, o país inteiro está prestes a mergulhar em um longo feriado coletivo, por outro, a indústria do turismo e empresas de comércio e serviços comemoram o enorme alcance da data e se preparam para atender a uma demanda de consumo diversificada", afirma o presidente Pellizzaro Junior. 

Planos de viagem
De acordo com o levantamento, 32% dos entrevistados devem viajar a lazer na data, 27% pretendem viajar para a casa de parentes e amigos, enquanto 20% devem participar de eventos na própria cidade onde moram. Há também os que vão descansar em retiros espirituais, que somam 4% da amostra. Os locais de hospedagem mais comuns devem ser a casa de familiares e amigos (46%), hotéis e pousadas (23%) e apartamentos, sítios ou casas alugadas (14%).

Os dados mostram que a data vai mobilizar mais de 72 milhões de consumidores nas capitais do País. De acordo com o estudo, 48% dos brasileiros devem realizar alguma compra ou contratação de serviços para aproveitar os dias de feriado. Os que não devem consumir produtos relacionados ao Carnaval somam 27% dos entrevistados, enquanto 25% mostram-se indecisos. 

Considerando os que devem desembolsar no Carnaval deste ano, 49% planejam participar de blocos de rua para comemorar o feriado. Outras atividades comuns serão as festas em clube ou boates (26%), ensaios de escola de samba (24%), shows em trios elétricos (23%) e desfiles em escolas de samba (20%).

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.