Brasil

Dr. Josiano Macedo: Olhares sobre a história da violência e sua interface com a democracia eleitoral

A violência como sistema no Brasil. A violência como parte da história do Brasil.

A violência no Brasil não é fato pontual. Desde o período colonial, foi sendo imposto um arranjo social no qual certas categorias de pessoas recebiam um tratamento melhor do que outras. A idéia do colonizador branco era superior aos índios e negros foi adquirindo formas diferentes, à medida que mudanças importantes foram acontecendo nas estruturas social e política nacionais.

Os ideais republicanos, implantados por uma elite econômica, política e jurídica, jamais chegaram à plenitude. Esse movimento de produção e reprodução de desigualdades, gerador de tantas formas de violência, raramente é suspenso. Na maior parte da história do país, as políticas de governo (ou falta delas) contribuem para reforçar essa disposição das relações de poder. Ao inviabilizar a formação dos mais pobres para a automia de pensamento, limitar as possibilidades de participação ativa na política, o Estado, outras instituições brasileiras e os segmentos sociais das elites contribuem para a continuidade de relações sociais pautadas na exclusão, no autoritarismo e na violência.

O modo de se viver em sociedade no Brasil se dá por causa da escolha de alguns grupos que, ao tentar manter a atual ordem estabelecida, acaba tornando alguns modelos fixos e sem alteração, nesse caso é complexo o enfrentamento da violência, pois prejudica as relações sociopolíticas. O termo “política” pode ser entendido como as negociações que se estabelecem para que pessoas- com interesses tão numerosos e, por vezes, antagônicos- possam dividir pacificamente um mesmo espaço, portanto não há solução para violência fora das discussões que ocorrem no âmbito da política.

Ano de eleições se faz necessário que cada cidadão comece a refletir sobre nossos desafios sociais e qual o melhor projeto para enfrentamento dessa realidade, existem hoje no congresso nacional, parlamentares identicados com segmentos econômicos e sociais fortemente interessados em propostas potencialmente geradores de violência. 

Entender as diversas formas de violência é importante para a tomada de decisões corretas, diante do processo de eleições democráticas, estudos mostram que 62 pessoas detém o mesmo dinheiro que a metade mais pobre da humanidade. Essa Desigualdade é impressionante quando se considera que os mais ricos correspondem a 1% da humanidade, mas detém 99% das riquezas. 

É preciso mudar a política de segurança pública, incluindo um debate intersetorial com participação da sociedade civil organizada, buscando entender as causas desse fenômeno.
(Josiano Macedo de Lima / Médico de Família e Comunidade)

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.