Brasil

Temer dará posse hoje a ministro da Saúde e dos Transportes

As mudanças nos ministérios ocorrem em decorrência da saída de ministros tendo em vista a disputa eleitoral deste ano
Em meio aos desdobramentos da Operação Skala, que levou à prisão pessoas de seu convívio pessoal, o presidente Michel Temer decidiu, no fim de semana, pela ida de Dyogo Oliveira, atual ministro do Planejamento, para a presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Esteves Colnago, atual secretário-executivo do ministério, será o novo ministro do Planejamento. O anúncio oficial ocorreu, ontem à noite, por meio de uma nota da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.
Em outras mudanças no ministério, o presidente Temer dará posse ao novo ministro da Saúde, Gilberto Occhi, que deixou a presidência da Caixa Econômica Federal, em solenidade às 10h30min, no Palácio Planalto. Ele substituirá o ministro Ricardo Barros, que já havia se despedido do ministério, no último dia 27 de março. Barros volta à Câmara dos deputados para tentar a reeleição. Occhi ocupará a pasta da Saúde por indicação do PP. O novo presidente da Caixa será Nelson Antônio de Sousa.
O novo ministro dos Transportes, Valter Casimiro Silveira, também será empossado no mesmo ato no lugar de Maurício Quintella. Casimiro é uma indicação do PR, partido do atual ministro, que disputará uma vaga para o Senado por Alagoas.
Esta é uma das mudanças na equipe de governo em decorrência da saída de ministros tendo em vista a disputa eleitoral deste ano. O prazo para quem pretende disputar algum cargo em outubro se encerra no próximo sábado, 7 de abril.
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tentava emplacar o secretário de Acompanhamento Fiscal da Fazenda, Mansueto Almeida para o Planejamento. Mas, Dyogo Oliveira defendeu a permanência de Colnago sob o argumento de que a escolha dele dará sentido de continuidade aos trabalhos, já que Colnago conhece bem o funcionamento da pasta e é funcionário público há mais de 20 anos.
Economista com mestrado em Ciências Públicas, Esteves Pedro Colnago Junior atua junto à área econômica do governo desde 1996 quando iniciou carreira de analista no Tesouro Nacional. É analista do Banco Central desde 1998 e assumiu coordenações de áreas no Ministério da Fazenda de 2004 a 2015.
Colnago acompanhou a ascensão de Dyogo Oliveira na administração pública e foi seu secretário-executivo adjunto tanto na Fazenda como no Planejamento. Desde abril do ano passado foi efetivado como o secretário-executivo de Oliveira, substituindo-o em períodos de férias.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.