Ceará

Ceará perde para Cruzeiro e assume lanterna da Série A

Um dia após completar 104 anos de história, o Ceará assumiu a lanterna da Série A. Jogando na Arena Castelão, o Alvinegro perdeu para o Cruzeiro por 1 a 0 neste domingo (3), em partida válida pela nona rodada do campeonato. Foi a terceira derrota consecutiva no Brasileirão, sendo todas sob o comando do técnico recém-chegado Jorginho. O único gol do confronto foi marcado por Sassá.
O resultado deixa o Vovô ainda mais pressionado no certame. Com apenas três pontos em 24 disputados, a equipe já soma 11 partidas sem vitória na temporada. Para não terminar a rodada na última posição, o Alvinegro precisa torcer por um tropeço do Paraná, vicelanterna, diante do Fluminense nesta segunda (4). As duas equipes estão empatadas na pontuação, mas o saldo da equipe de Porangabuçu é pior: -10 a -9.
Sem tempo para lamentar, o Ceará já volta a entrar em campo na quarta (6) contra o Botafogo, às 19h30, no Engenhão/RJ. O Vovô segue sem ter conquistado uma única vitória no Campeonato Brasileiro, sendo detendo do segundo pior ataque (+4) e da terceira defesa mais vazada (-14).
Já o Cruzeiro emplacou a terceira vitória consecutiva na Série A, assumindo a vice-liderança da Série A com 16 pontos ganhos (5V/1E/3D). O próximo adversário da equipe será o Vasco, em jogo disputado no mesmo dia que o do time cearense. A partida acontece às 21h45, no Mineirão/MG.
O jogo
Com um time repleto de desfalques - Arnaldo, Felipe Azevedo, Juninho, Naldo e Luiz Otávio -, Jorginho armou o Ceará com uma surpresa: o zagueiro Patrick, aniversariante do dia, foi deslocado para a lateral direita, fazendo uma trinca de defensores com Valdo e Rafael Pereira.
A mexida não funcionou. O Alvinegro não apresentava um padrão tático definido, facilmente neutralizado pela defesa adversária. Enquanto isso, o Cruzeiro explorou o setor. Egídio e Rafael Sobis avançavam pela lateral com liberdade. No entanto, o primeiro lance de perigo surgiu de bola parada. Thiago Neves cobrou falta e exigiu grande defesa de Éverson, aos 8.
Melhor postado e sem fazer força, o Cruzeiro então abriu o placar. Sóbis descolou lançamento primoroso para Bruno Silva invadir a área e achar Sassá, que só precisou escorar para gol, aos 22.
O técnico Jorginho então tentou mexer na equipe e colocou Éder Luís no lugar de Wescley, ainda no primeiro tempo. A mudança foi crucial para a ausência de criatividade do Vovô. Com atacantes isolados, faltava um elemento de criação no meio alvinegro. Para não dizer que o setor foi inerte, Arthur resvalou duas bolas de cabeça, longe da meta de Fábio. A etapa inicial terminou sob vaias na Arena Castelão.
Na volta para o intervalo, o time até ensaiou uma postura diferente. Éder Luís, de cabeça, exigiu a primeira defesa de Fábio, já nos minutos iniciais. Só que o ímpeto se esgotou rapidamente. Era o Cruzeiro que estava mais próximo do gol. Aos 4, Mancuello exigiu nova intervenção de Éverson, após passe de Thiago Neves dentro da área.
Com o resultado consolidado, o jogo perdeu intensidade por dois motivos: os jogadores do Ceará não sabiam o que fazer com a bola nos pés, enquanto o Cruzeiro preferiu se arriscar menos e administrar o placar.
Jorginho então promoveu a entradas de Juninho Piauiense e Reina em campo. Mudança sem efeito, visto que os jogadores estavam espaçados em campo. O meia colombiano, inclusive, armou até contra-ataque para o adversário tamanha desatenção em campo.
Romário até tentou dar um traço de esperança ao torcedor quando emendou belo chute de fora da área. Só que Fábio espalmou de mão trocada, já aos 30. O enredo seguinte foi um Cruzeiro trocando passes enquanto a torcida visitante festejava na Arena Castelão. O apagar das luzes é história calejada: nova derrota do Vovô na Série A do Brasileirão.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.