Copa do Mundo

Por 2 x 1, França vence Austrália neste sábado

Em um jogo que entrou para a história das Copas do Mundo pelo primeiro uso de um árbitro de vídeo (VAR), a França foi salva pelo uso da tecnologia da arbitragem para vencer a Austrália por 2 a 1 na abertura do Grupo C do Mundial, neste sábado (16), na Arena Kazan.
O primeiro gol francês nasceu de um pênalti marcado após a consulta do VAR, convertido por Griezmann aos 13 minutos do segundo tempo. Depois do empate australiano em pênalti convertido por Jedinak três minutos mais tarde, Pogba fez gol da vitória em um lance em que a bola tocou no travessão e depois perto da linha aos 36 minutos. Alertado pelo dispositivo para este tipo de lance, o árbitro uruguaio Andres Cunha confirmou o gol.
Com a vitória no sufoco, construída depois de um primeiro tempo travado, a França saiu na frente no Grupo C da Copa do Mundo com três pontos, enquanto a Austrália não tem nenhum. Os franceses voltam a campo no dia 21 de junho, quando enfrentam o Peru. Já os australianos encaram no mesmo dia a Dinamarca. Peruanos e dinamarqueses se enfrentam ainda neste sábado, às 13h (de Brasília).
O lance histórico
O primeiro uso do árbitro de vídeo em uma Copa do Mundo teve origem em um lançamento de Pogba em profundidade para Griezmann aos 9 minutos do segundo tempo. Joshual Risdon deu um carrinho e, em um primeiro momento, o árbitro uruguaio Andres Cunha teve a impressão de que o australiano fez o desarme na bola.
Na sequência, porém, o árbitro de vídeo foi acionado para a revisão do lance. Depois da decisão, Andres Cunha então voltou a campo, fez o sinal característico do uso da nova tecnologia e apontou para a marca do pênalti. O processo até a cobrança de Griezmann demorou três minutos.
Este nem precisou de VAR
O gol de empate australiano também teve origem em um lance de pênalti, mas neste o árbitro nem precisou consultar o árbitro de vídeo. Após uma rápida hesitação, ele apontou para a marca da cal em um claro toque de mão do zagueiro Umtiti em cruzamento para a para a área australiana. Jedinak converteu.
1º tempo: Domínio francês, mas equilíbrio em chances de gol
Os primeiros cinco minutos da seleção francesa foram promissores, mas de fôlego curto. Foram três finalizações em menos de seis minutos. Mbappé, Pogba e Griezmann exigiram três defesas de Mathew Ryan, a mais difícil em chute do jovem de 19 anos que fez a sua estreia em Copas. Mas até o intervalo, o domínio francês se resumiu à posse de bola (52% a 48%), com poucas chances efetivas.
Tanto que a chance mais clara de gol do primeiro tempo foi australiana, em uma cabeçada de Mathew Leckie que exigiu grande defesa de Hugo Lloris aos 17 minutos. A Austrália ainda assustou em chute cruzado de Behich, no último lance do primeiro tempo, que passou perto da meta de Lloris.
Australiano recordista? Ainda não
Disputando a sua quarta Copa do Mundo, o australiano Tim Cahill, de 38 anos, falhou em sua primeira tentativa de igualar o mesmo recorde atingido por Cristiano Ronaldo no último sábado, o de marcar pelo menos um gol em quatro edições consecutivas de Mundiais.
O veterano começou no banco de reservas e não saiu dele. Além de Cristiano Ronaldo, o brasileiro Pelé e os alemães Miroslav Klose e Uwe Seeler são os outros jogadores que ostentam o recorde de marcar em quatro Copas do Mundo consecutivas.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.