Brasil

Bolsonaro diz que se eleito vai continuar a defender punição dura a assassinos

Em publicação no Twitter, o candidato do PSL a presidente afirmou que, como parlamentar, propôs penas mais severas para crimes passionais independentemente da sexualidade.

O candidato do PSL a presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou nesta terça-feira (16) que, se eleito, vai continuar defendendo punição dura a assassinos.

Em publicação no Twitter, ele afirmou, ainda, que como parlamentar, propôs penas mais severas para crimes passionais independentemente da sexualidade.

Segundo o candidato, as mulheres são as maiores vítimas desses crimes, que também atingem homossexuais.

Bolsonaro não cumpriu agenda pública. Ele passou a manhã desta terça em casa, na barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, e continua conversando com eleitores por meio das redes sociais.

Em um outro post divulgado nas redes sociais, Bolsonaro disse que, se eleito, vai extraditar o ex-ativista Cesare Battisti.

Em 2010, no último dia do governo Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-presidente assinou um parecer que manteve o italiano no Brasil.

No ano passado, a Itália pediu ao governo brasileiro que voltasse atrás na decisão. A Presidência já negou que esteja reavalindo a permanência de Battisti no Brasil.

Ministério da Agricultura

Também nesta terça, a presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputada Tereza Cristina (DEM-MS), informou que Bolsonaro pediu à entidade que indique um nome para o Ministério da Agricultura.

Na reforma ministerial que diz pretender fazer, Bolsonaro já anunciou que unificará as pastas da Agricultura e do Meio Ambiente.

"Ele [Bolsonaro] disse: 'Olha, o nome do futuro ministro da Agricultura será um nome que a frente me indicar'. Nós preferimos dizer 'sugerir'. Se a Frente for fazer isso, ela vai fazer indicando dois ou três nomes", afirmou Tereza Cristina após reunião da bancada ruralista em Brasília.

A FPA já manifestou apoio a Bolsonaro. Na semana passada, parte dos integrantes da Frente foi ao Rio de Janeiro entregar um manifesto a favor da candidatura.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.