Mundo

França pede a Trump para não se intrometer em assuntos do país

Os serviços de inteligência da França investigam suspeitas de ingerência estrangeira nos protestos do movimento dos "coletes amarelos", que já parou inúmeras cidades do país para criticar as políticas do presidente Emmanuel Macron.
Segundo informações da imprensa local, o inquérito é conduzido pelo Secretariado-Geral da Defesa e da Segurança Nacional (SGDSN) e apura o papel de perfis ligados a outros países nas redes sociais em tentar amplificar a mobilização popular.
Contas e sites criados para esse fim teriam multiplicado informações e comentários de modo automático, tática já vista em processos eleitorais nos EUA, na Europa e até no Brasil. Os "coletes amarelos" surgiram em protesto contra a alta do preço dos combustíveis, mas logo abarcaram toda a insatisfação social com Macron, que vem batendo recordes negativos de popularidade.
Neste domingo (9), o governo francês também criticou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e pediu para ele não se intrometer em assuntos de outro país. "Eu digo a Donald Trump, mas também Macron diz: Nós não nos metemos nos debates americanos, então nos deixe viver nossa vida de nação", afirmou o ministro das Relações Exteriores Jean-Yves Le Drian.
"Nós não fazemos considerações sobre a política interna americana e gostaríamos que isso fosse recíproco", acrescentou. Um dia antes, durante os atos dos "coletes amarelos", o republicano havia criticado as políticas ambientais da França e dito que os manifestantes gritavam "Queremos Trump!".
ANSA

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.