Mundo

Papa Francisco condena a ganância do ser humano e o acúmulo de bens

Ao rezar a Missa do Galo, na Basílica de São Pedro, no Vaticano, o papa Francisco condenou a ganância e o acúmulo de bens. Ele ressaltou que o nascimento de Jesus Cristo leva à reflexão sobre um novo modelo de vida baseado no compartilhamento, na doação e, sobretudo, no fim da ganância.
Segundo o pontífice, o homem “se tornou ganancioso e voraz”. De acordo com ele, muitos acreditam que o sentido da vida se sustenta em acumular bens. “É o momento decisivo para mudar o curso da história”, advertiu o papa.
O papa Francisco fez um chamamento para cada um mude a história por meio de si mesmo. “Mude a história a partir de cada um de nós”, disse. “O centro da vida não é mais o meu eu faminto e egoísta, mas aquele que nasce e vive por amor.”
De acordo com o pontífice, todos devem se perguntar sobre seu modo de vida e o que transformar para melhor. “[Será que] eu realmente preciso de muitas coisas, receitas complicadas para viver? “Posso fazer sem muitos contornos supérfluos, para escolher uma vida mais simples?”, sugeriu.
O papa Francisco ressaltou ainda que Cristo “não gosta” de preguiçosos nem sedentários. “O Senhor ama ser esperado e não pode ser esperado no sofá, dormindo. De fato, os pastores se movem: eles foram sem demora.”
O pontífice falou ainda sobre respeito às diferenças. Francisco pediu “fraternidade entre pessoas com idéias diferentes, mas capazes de respeitar e ouvir umas às outras”.
“Amor, aceitação, respeito por esta pobre humanidade nossa, que todos nós compartilhamos em uma grande variedade de raças, línguas e culturas. Nossas diferenças, então, não são um prejuízo ou um perigo; são uma fonte de riqueza”, afirmou o papa.
O papa Francisco pediu a retomada do diálogo entre israelenses e palestinos para “empreender uma jornada de paz que ponha fim a um conflito que por mais de 70 anos dilacerou a terra escolhida pelo Senhor para mostrar sua face de amor”. Ele pediu à comunidade internacional que trabalhe por uma solução política na Síria e disse esperar que uma trégua negociada na guerra civil do Iêmen traga alívio para uma população exaurida pela violência e pela fome.
Durante a missa, Francisco pediu a harmonia social na Nicarágua e na Venezuela, que sofrem com conflitos políticos internos. A crise econômica na Venezuela levou milhares de venezuelanos a buscarem abrigo no Brasil, em busca de condições melhores, o que levou a uma nova crise em Roraima, porta de entrada dos imigrantes.
O pontífice lembrou ainda dos africanos que migram de seus países em busca de condições melhores e do conflito entre Ucrânia e Rússia.
Agência Brasil e Folha Press

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.