Mundo

Papa Francisco diz em livro que padres gays devem abandonar o sacerdócio

"É melhor que eles deixem o sacerdócio ou a vida consagrada em vez de viver uma vida dupla", declara
O Papa Francisco declarou em entrevista para livro que homens gays não devem ser admitidos pela igreja católica. Segundo ele, seria mais saudável para os padres que se declaram gays largar o sacerdócio em vez de levar uma vida dupla. Declaração, parte de livro que será lançado esta semana, foi revelada pela Reuters.
O Pontífice já havia declarado antes que o clero católico deveria melhorar a triagem dos candidatos para a vida religiosa. O comentário onde sugere os que os padres que não conseguem manter seus votos de celibato devem deixar o sacerdócio é um dos mais repercutidos sobre o assunto até o momento.
Francisco fez essa afirmação durante uma entrevista ao Padre espanhol Prado, que irá abordar em sua obra os desafios enfrentados por padres e freiras nos dias atuais. O livro tem como título "O poder da vocação". "A questão da homossexualidade é muito séria", afirmou o Papa para a publicação.
Em outras declarações, Francisco diz que não há espaço para a homossexualidade nas vidas de padres e freiras e que a igreja deve ser exigente na escolha dos candidatos. "Por essa razão, a Igreja pede que pessoas com essa tendência enraizada não sejam aceitas no ministério (sacerdotal) ou na vida consagrada", explicou. "É melhor que eles deixem o sacerdócio ou a vida consagrada em vez de viver uma vida dupla".
O Povo Online

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.