Ceará

Bloco da oposição vai propor CPI do Narcotráfico na Assembleia Legislativa

Minutos antes de tomarem posse na Assembleia Legislativa, os deputados Vitor Valim (Pros), Soldado Noelio (Pros) e André Fernandes (PSL) adiantaram propostas que devem apresentar no novo mandato. Segundo eles, o foco das ações será nas investigações e combate ao crime organizado.
Em entrevista ao jornalista Carlos Mazza, do O POVO, os parlamentares defenderam a abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Narcotráfico. Valim disse lamentar que na última gestão do legislativo estadual “alguns deputados” tenham evitado o tema por medo de represálias. Para ele, se os policiais se colocam em risco, os deputados devem fazer o mesmo.
Já Noelio disse que a AL precisa investigar para ver “quem são os políticos e grandes empresários com ligações com facções”. Aliado do presidente Jair Bolsonaro (PSL) no Ceará, Fernandes não só defendeu a Comissão como se dispôs a presidi-la.
Aliado do governador Camilo Santana (PT), o deputado Acrísio Sena (PT) pediu cautela ao comentar possível abertura da CPI. Para ele, as respostas do Governo do Ceará têm sido serenas, com base em estudos, não em bravatas. Para o parlamentar, o papel mais adequado do parlamento cearense neste cenário é dar suporte legal para que as mudanças propostas pelo Estado – em parceria com o Governo Federal – possam ser efetivadas e mantenham os bons resultados.
Última legislatura
Eleito deputado federal nas últimas eleições, Capitão Wagner (Pros) foi um dos mais ferrenhos defensores da CPI na última legislatura. A proposta de criar a comissão de investigação foi protocolada no Ceará em 2015 pela deputada Rachel Marques (PT), mas desde estão está travada na Casa.
O POVO Online

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.